Quem vai levar as alianças?

O cortejo do casamento é cheio de detalhes e apesar de parecer ser cheio de regras, pode variar bastante de um casamento para o outro. A ajuda de um cerimonial é fundamental para cuidar de cada um dos pontos, montar um cortejo bonito e evitar que ocorra alguma confusão. É preciso definir a quantidade de casais de padrinhos, o momento da entrada das crianças e o que cada um vai levar, quem vai entrar com os noivos e se vai haver mais alguma entrada especial. Um dos pontos a ser definido é quem levará as alianças e se essa entrada vai ser no início do casamento, ou na hora da troca dos votos. Eu gosto muito de coisas que fazem sentido e tem um significado especial, principalmente em um momento tão simbólico como o casamento, então sugiro que os noivos escolham alguém importante e muito querido pelo casal.

Apesar de nunca ter tido dúvidas sobre quem levaria as minhas, durante a organização do casamento vi várias opções diferentes e algumas dicas em relação a cada uma delas.

Daminhas ou Pajens: sem dúvidas a opção mais comum é que as alianças sejam levadas por uma das daminhas ou um dos pajens, que pode entrar tanto no início do cortejo junto com os outros ou no meio da cerimônia, no momento da troca das alianças. Acho que as daminhas e pajens trazem alegria para o casamento e compõe a cerimônia de um jeito delicado e muito fofo, então sou muito a favor dessa ideia. Tem um post aqui no blog com dicas sobre daminhas e pajens e vou repetir uma delas aqui: quanto mais novas as crianças, maior a chance de não entrarem no cortejo e, apesar de na minha opinião isso não ser um grande problema, se essa criança pequena estiver “responsável” pelas alianças, a entrega terá que ser improvisada lá na hora.

Avôs e avós: Não sei se é porque tenho os mais lindos do mundo, mas tenho um carinho especial pelos avós. Eles ficam tão emocionados, felizes e realizados ao ver os netos se casando que merecem um destaque e uma participação na cerimônia. Tem sido cada vez mais comum convidar um casal de avós, uma avó ou um avô de cada lado para entregar as alianças e dar sua bênção aos noivos. Acho uma ideia linda e super carinhosa, mas é preciso ter atenção a alguns detalhes. Alguns idosos, por exemplo, tem dificuldade de locomoção e, se esse for o caso, é interessante observar se a entrada não vai lhes causar transtorno, especialmente em cerimônias abertas com pisos irregulares.

Alguém especial: Muitas vezes os noivos querem escolher alguma pessoa próxima que tenha um significado especial para o casal. No meu caso, queria que fosse a minha irmã de 12 anos que, segundo ela, era muito grande para ser daminha e muito nova para ser madrinha. Nunca tive dúvidas de que ela levaria as nossas alianças e foi muito emocionante!

É claro que não existe uma idade correta, nem limite, para as daminhas, mas achei essa definição que ela deu engraçada e até um pouco pertinente, já que adolescentes sempre tem uma opinião diferente para tudo. É comum que os noivos escolham irmãos, primos, tios ou algum amigo para esse papel e, na minha opinião, fica lindo, já que essa escolha terá um significado especial para todos os envolvidos.

Vocês viram o casamento da Flávia e do Vitor? Os noivos escolheram a amiga que os apresentou para levar as alianças. Diferente e super simbólico!

Cachorros: é cada vez mais comum que os casais escolham o pet para fazer parte desse momento especial e existem até fornecedores que fazem roupinhas especiais, como um terno ou um vestidinho de dama! Se essa for a sua escolha, é preciso prestar atenção às regras do local, já que a grande maioria das igrejas não permite animais de estimação. É importante ter cuidado também, já que será um momento que ele não está acostumado, com bastante gente em volta, em um lugar diferente, o que pode interferir no comportamento do seu cachorro. Cada um conhece o seu bichinho mas, em alguns casos, talvez seja uma boa opção escolher alguém para entrar com ele.

E aí? Alguém tem mais alguma ideia?

Comente ♥