Os motivos de briga mais comuns durante os preparativos do casamento

Decisões que envolvem dinheiro já são complicadas, imaginem só quando envolvem muito dinheiro e milhões de expectativas? Não se desesperem se, por acaso, brigarem um pouco mais que o normal durante os preparativos do casamento. É verdade, não faz sentido nenhum e é péssimo quando isso acontece, parece que estamos indo na contramão de todos os sonhos e as coisas parecem ainda maiores do que realmente são, mas é muito mais comum do que vocês imaginam.

E por que eu estou falando disso aqui? Não sei se é o caso de vocês, mas eu me sentia um pouco melhor quando alguém que já casou me falava que isso era normal, então, por minha conta, podem relaxar: é completamente normal, não é o fim do mundo e vocês não são um casal de ET’s (sim, eu me sentia assim quando a gente brigava por causa do casamento).

Todo mundo fala que essa fase dos preparativos também é um preparativo para a vida a dois, na qual vocês terão que aprender a conversar sobre temas complicados, a ceder e a entender as necessidades e sentimentos do outro, mesmo que não pareça fazer sentido nenhum. A chave nessas situações é respirar fundo, tentar ver o tamanho que as coisas realmente têm, focar no verdadeiro sentido de tudo isso que estão vivendo e relevar algumas coisas, afinal de contas, os dois estão em um nível de stress e ansiedade acima do normal.

Querem saber quais os motivos de briga mais comuns durante os preparativos do casamento? Vale ficar mais alerta quando esses assuntos surgirem, tomar mais cuidado com as palavras e todos os sentimentos envolvidos. Quem sabe não evitam algumas discussões desnecessárias por aí?

O orçamento. Não vou mentir, ver os números no papel e fazer todas as contas assusta mesmo, principalmente os noivos, afinal de contas, independentemente de qual é o orçamento de vocês, todo mundo sabe que não é uma coisa barata. Além disso, provavelmente é a primeira vez que vocês têm que tomar decisões tão caras juntos e muitas vezes surge aquela famosa discussão sobre “não vamos gastar tanto dinheiro em uma festa”. É importante que a conversa seja franca e aberta e que todos os sentimentos, expectativas e sonhos envolvidos fiquem bem claros, especialmente se vocês dois estiverem arcando juntos com as despesas do casamento e da casa nova.

Quem vai pagar o quê. Quando mais de uma pessoa, ou mais de uma família estão envolvidos no pagamento, é comum gerar conflitos sobre quem vai pagar qual fornecedor. Além disso, quando várias pessoas estão “investindo” no casamento, todas elas acham que tem opinião definitiva na escolha dos fornecedores. Se esse for o caso, mais uma vez, vale uma conversa franca, aberta e sincera sobre todos os gastos e ideias que envolvem o casamento, deixando bem claro que a palavra dos noivos deve ser a palavra final.

♥ Prioridades. Já falei em um post aqui, que uma boa tática na hora de definir o orçamento, é ver quais são as prioridades do casal para o casamento. O melhor a fazer é definir as 3 coisas mais importantes e as 3 menos importantes para vocês e, então, dividir o budget de cada uma. Dessa forma, se vocês são um casal que curte muito fotografia, ficarão mais felizes em investir nisso. Se, por outro lado, chegarem a conclusão de que a melhor parte da festa é a comida, será natural que sejam mais exigentes e criteriosos na hora de escolher o buffet. Isso varia de casal para casal e é importante que cheguem em algum acordo juntos para evitar que alguém se decepcione.

Lista de convidados. Falamos tanto da lista de convidados e das dificuldades que ela apresenta, que ela já é um fantasma até na vida de quem nem ficou noivo ainda. Não vou negar que é complicado, que dá um certo trabalho e que a preguiça de começar a fazê-la é sem motivo. É difícil mesmo, afinal de contas, ainda falta um tempão para o casamento e com certeza a lista será atualizada mais pra frente. Além disso, em grande parte dos casos, os pais fazem questão de adicionar muita gente que os noivos não fazem tanta questão assim e isso acaba gerando um conflito grande, inclusive entre as famílias. Mais uma vez, a chave para evitar problemas é deixar tudo em panos limpos, todas as informações claras e, se for necessário, definir números de convites para cada lado da família.

Falta de interesse do noivo. Uma das grandes preocupações e motivos de insônia das noivas é a falta de interesse do noivo em alguns temas de casamento. Vou ser sincera, talvez até demais, e dar a minha opinião. Eu acho impossível obrigar uma pessoa a se interessar por determinado assunto. Eu sei que é o casamento de vocês e que todo mundo espera que ele se envolva, se emocione, preocupe com os mínimos detalhes e queira participar de tudo, mas não dá para esperar que uma pessoa diferente tenha os mesmos sentimentos que você. O fato dele não se interessar por cores dos guardanapos, por exemplo, não significa que não está interessado do casamento, esse só é um assunto que, para ele, não tem importância. É como se ele exigisse sua opinião sobre quem deveria ser contratado para o time de basquete que ele torce, sendo que você não sabe nem quantos jogadores entram em uma quadra de basquete. A principal estratégia, nesse caso, é tentar envolve-lo mais nos assuntos que você acha que ele se interessaria. Se for um noivo que gosta de cerveja e vinho, peça a ele para decidir as bebidas do casamento. Se for um que gosta de cozinhar, peça ajuda com os pratos do buffet. Se for arquiteto, mostre o projeto da decoração, pela sugestão e por aí vai. Ninguém conhece o noivo melhor que você e tenho certeza que ele ficará muito mais animado e participativo quando estiver envolvido nas coisas que tem afinidade.

Comente ♥