Minha opinião sobre o Casamento Real

Gente, sei que esse post está um pouquinho atrasado e que o blog ficou um pouquinho abandonado esses dias, e peço mil desculpas por isso. Esse mês estávamos organizando o quartinho do Lucas e por causa da bagunça reforma, acabei ficando um tempinho sem o computador. Mas o post ficou prontinho, só esperando liberar o escritório aqui de casa para vir comentar com vocês tudo que eu achei, li e pesquisei sobre o casamento real. O que acham?

Então vamos por partes: a primeira coisa que preciso falar é que me surpreendeu muito. Sou meio fãzinha da família real e da história da Inglaterra, então li tudo que apareceu na minha frente sobre o assunto e confesso que não estava botando muita fé nesse casamento. Achei que seria meio sem graça, que o casal não tinha tanta química assim e que quebrar tantas tradições poderia ser meio “agressivo” a tudo que a família real representa. Como eu estava errada!

Antes de separar o post por temas, preciso falar que fiquei impressionada, encantada mesmo, com a elegância da Meghan até para se posicionar e quebrar as tradições. Outra coisa que me emocionou foi o carinho dos dois, os olhares que trocaram durante a cerimônia, as mãos dadas no passeio de carruagem. Essas coisas podem parecer pequenas, mas pra mim são a essência do casamento e valem muito mais que qualquer título ou qualquer valor gasto naquele momento. Pra mim, é por isso que a gente casa, sabe? Pra mostrar pro mundo inteiro que aquele amor não podia mais viver em duas casas, tinha que virar uma família só.

Então, vamos lá!

O VESTIDO E O VÉU

Como sempre, a especulação sobre o vestido da Duquesa de Sussex foi enorme, tema de apostas na Inglaterra (eles tem uma mania de apostas!), desde o corte, até a estilista escolhida. Desde o início achei que seria um vestido mais “sequinho”, já que faz bem o estilo “classudo” da Meghan, que costumava desfilar por aí de saias lápis e cores mais neutras.

Ela surpreendeu a todos por não ter escolhido nem uma estilista inglesa, nem americana. Vocês já devem estar cansadas de ler isso por aí e sabem que o vestido foi assinado pela Clare Waight Keller, a primeira mulher a assumir a grife Givenchy. Outra coisa que mostrou o posicionamento da noiva, foi ela ter escolhido um vestido bem parecido com o da primeira princesa ocidental negra. Vocês viram isso? Achei a referência bem legal!

Para quem pensou que o vestido seria mais barato, só porque era liso e “simples”, isso não é verdade. Estima-se que custou cerca de 200 mil libras e, caso não saibam, o vestido é um dos únicos gastos do casamento que ficou por conta da noiva.

O véu, que tinha quase 5 metros de comprimento, também teve uma referência política (bem engajada essa duquesa, né?), já que ela pediu que fossem bordadas as 53 flores que representam os países da Commonwealth, ou Comunidade das Nações, que, para quem não sabe, é uma organização intergovernamental, composta por países independentes, basicamente formado pelo Reino Unido e suas ex-colônias, que que apoiam uns aos outros e trabalham juntos para objetivos comuns de democracia e desenvolvimento. Além das 53 flores, ela pediu para acrescentar uma que representa o Palácio de Kensington e uma que representa a Califórnia, sua terra natal. Achei fofo!

O BUQUÊ

O buquê, que aparentemente foi simples (e até alvo de algumas piadas, por ser bem menor que o da Princesa Diana e da Kate Middleton), foi assinado pela Philippa Caddock, que também ficou responsável pela decoração e teve um charme super especial: algumas flores foram colhidas pelo próprio Príncipe Harry, que escolheu suas preferidas no jardim do Palácio de Kensington e homenageou a mãe, incluindo Forget me not, sua flor preferida. O buquê também tinha, além de outras flores, ramos de murta, que são uma tradição dos casamentos reais desde a Rainha Victoria.

A BELEZA E OS ACESSÓRIOS

De todas as conversas que eu participei, stories e posts que vi sobre o assunto, esse foi o tema que mais gerou críticas. Muita gente (muita mesmo) não gostou da maquiagem da Meghan, por achar simples demais, especialmente no dia do próprio casamento. Eu confesso que, como uma amante dos mais naturais, achei que ela estava linda, clean e totalmente apropriada para o horário do casamento.

Além disso, algumas coisas precisam ser ditas sobre a maquiagem em casamentos reais. A primeira delas, é que as mulheres que fazem parte da realeza não costumam usar muita maquiagem e, para falar a verdade, nem é bem visto. Sendo assim, os batons cor de boca e esmaltes praticamente sem cor, são os mais indicados e usados por elas, assim como olhos neutros, sem nada muito marcado. Sabendo disso, não faria sentido nenhum esperar uma maquiagem escura ou com tons mais fortes, né? Além disso, o casamento foi de manhã, o que já pede uma produção mais leve e delicada. Muita gente comentou que as sardas aparentes fizeram a maquiagem aparecer ainda menos, mas Meghan já tinha contado em uma entrevista que adora as sardas e que seus pais costumavam cantar uma música pra ela sobre meninas com sardinhas. Ela que não quis tampar, gente. Não foi “erro” de quem maquiou.

Os acessórios, na minha opinião, casaram perfeitamente com o vestido. A tiara era da Rainha Mary e foi cedida pela Rainha Elizabeth. Os brincos e a pulseira que compuseram o look eram da Cartier e também achei muito bem escolhidos. Algumas pessoas acharam muito pequeno, mas é importante lembrar do estilo da Meghan, mais minimalista, discreto e clássico. Não faria sentido nenhum ela colocar um brincão, né?

O BOLO

Tá aí mais uma coisa que gerou uma certa polêmica. A Família Real tem a tradição de servir um bolo de frutas nos casamentos, bem típico. Esse bolo é até enviado aos convidados depois. Meghan e Harry, entretanto, optaram por um bolo completamente diferente e bem mais simples, de limão siciliano, coberto com creme de manteiga e Elderflower, uma florzinha comestível que tem na Inglaterra nos meses de maio e junho. A confeiteira escolhida foi a Claire Ptak, daViolet Cakes. O bolo foi decorado com peônias e rosas e, ao invés daquele bolo grande e em camadas, optaram por uma composição de bolos menores. Muita gente achou inadequado e simples demais para um Casamento Real, mas eu confesso que adorei. Achei romântico e moderno, com um toque dos noivos, mas sem ser agressivo às tradições.

A DECORAÇÃO

Outra coisa que me encantou foi a decoração. Temos visto por aí tanta decoração exagerada, que acaba ofuscando a beleza dos lugares escolhidos, que adorei ver a do casamento real. É claro que não estava simples demais. Tinha arcos enormes de flores na entrada da Igreja (que eu amo!) e muitas flores espalhadas do lado de dentro, mas tudo de uma forma clean, leve e combinando com o local. Nem passadeira eles colocaram, até porque, seria um pecado tampar esse piso lindo, né?

A CERIMÔNIA

Deixei a cerimônia por último porque foi, com certeza, a parte mais emocionante. Acordei cedo para assistir e a cada minuto que passava, fiquei mais encantada. O pai da noiva não pôde ir ao casamento, como vocês sabem, e ela optou por entrar uma parte sozinha e outra com o sogro, o Príncipe Charles. Achei essa entrada cheia de personalidade e bem emocionante. Outra coisa que adorei foi as crianças com uma participação mais forte, que entraram atrás da noiva, segurando o véu. Foi lindo, leve e super delicado.

Outra coisa que chamou muito a atenção, foi a mãe da Meghan, que chegou de carro com ela e estava visivelmente emocionada e feliz pela filha durante toda a cerimônia. Coisa linda de ver!

A cerimônia em si, apesar de toda a formalidade que um casamento real exige, tinha muito a cara deles. Os dois estavam visivelmente felizes, apaixonados e com aquele sorrisinho de “estamos realizando um sonho”, sabe? O Príncipe Harry não é o sucessor direto ao trono, como é o caso do Príncipe William, então o casamento deles não foi um evento político como o do irmão. Isso explica o número menor de convidados, ter sido fora de Londres e a possibilidade de algumas informalidades que deixaram tudo ainda mais romântico. Os dois trocaram alianças, coisa que não aconteceu com Kate e William, já que só ela usa. Os votos deles não foram ditos por Henry Charles Albert David e Rachel Meghan, e sim por Harry e Meghan.  E quem não ficou derretida com a cena dele tirando o véu dela? Fofo demais, né?

via GIPHY

Tenho certeza que cada decisão do casamento foi aprovada previamente pela rainha e gostei muito dela ter deixado os noivos inserirem um pouco deles na cerimônia. Teve a irmã da Princesa Diana lendo um poema, o bispo americano Michael Bruce Curry falando sobre a importância do amor e aquele coral maravilhoso cantando Stand By Me, que desde então toca freneticamente no meu Spotify.

Achei tudo de um bom gosto enorme, de uma delicadeza e elegância sem tamanho. Me surpreendeu muito e me deixou ainda mais maravilhada com esse mundo dos casamentos. Como uma cerimônia que demonstra o amor dos noivos é importante, né?

E pra finalizar, nada melhor que um pedacinho do que sabiamente foi dito pelo reverendo no casamento e que acho que podemos levar para a vida inteira:

“Dr. Martin Luther King Jr. disse certa vez: “Precisamos descobrir o poder do amor, o poder redentor do amor. E quando descobrirmos isso, seremos capazes de fazer deste velho mundo um novo mundo. O amor é o único caminho. Há poder no amor. Não o subestime. Qualquer um que já tenha se apaixonado sabe o que eu quero dizer. Mas pense no amor sob qualquer forma. Ser amado e expressar o amor é bom. Há alguma coisa certa a respeito disso. E por um motivo. Um antigo poema medieval diz: “Onde houver o amor verdadeiro, o próprio Deus estará presente”. 

Comente ♥