Dicas sobre vistos de viagem

Com a lua de mel acertada, roteiro pronto, é a hora de avaliar algumas questões burocráticas, e a principal delas é o visto. O visto é necessário para muitos países, inclusive para os Estados Unidos, destino muito comum dos casais e, pensando nisso, separamos algumas dicas sobre vistos de viagem.

Para esses casos de viagem de lua de mel, o visto necessário é o de turismo, que é o mais comum de todos eles. Ele é válido para o período de viagem do casal, não havendo a possibilidade de estudar ou trabalhar no local durante esses dias. É importante lembrar que sem o visto é impossível entrar nos países, e o casal pode perder toda a viagem e o investimento.

Alguns países não exigem visto, e vocês podem entrar livremente. Exemplos deles são os países do Mercosul (Argentina, Uruguai, Chile, Colômbia, por exemplo), da União Europeia, México e Rússia. Ter esses países como destino é uma boa ideia, pois evita o custo e a burocracia do visto. Porém, se o plano principal for uma viagem para os Estados Unidos, Austrália, Canadá, China, Emirados Árabes, Índia ou Indonésia, por exemplo, o visto é indispensável.

Sobre esse procedimento, recomendamos que ele seja feito com a maior antecedência possível. Cada país possui suas próprias regras para essa autorização e nunca é um processo simples, finalizado de um dia para o outro. Em muitos casos pode demorar semanas e até meses, sendo que o planejamento é muito necessário, e isso envolve ter um passaporte atualizado, com vencimento, no mínimo, seis meses após a viagem.

Alguns desses vistos são concedidos no próprio aeroporto do destino, sem precisar de um procedimento anterior. Se for esse o caso, se informe sobre os documentos necessários, pois existe a chance do visto ser negado no local, e então o brasileiro deverá voltar ao país imediatamente.

Ademais, importante lembrar que alguns países exigem vacinas específicas, como é o caso da Austrália, que pede comprovação de vacina contra febre amarela. Ainda, grande parte das cidades no Brasil (principalmente aquelas que não são capitais) não possuem muitos consulados, sendo necessário viajar até uma cidade que os tenha para poder obter o visto. Esse é o caso dos Estados Unidos, por exemplo. Para quem tem de 16 a 65 e deseja tirar o visto pela primeira vez, é necessário fazer uma entrevista em alguma das cidades que possuem consulado, como Brasília, São Paulo, Recife ou Rio de Janeiro. Porém, para quem já possui o visto e deseja apenas renovar, o procedimento pode ocorrer apenas no Centro de Atendimento ao Solicitante de Visto, em Belo Horizonte, por exemplo.

Por fim, e não menos importante, lembramos que em algumas situações os voos com escala exigem visto nos países de conexão. Assim, se um voo para a Europa ou para o Caribe tem escala nos Estados Unidos, é necessário o visto americano para poder pegar o próximo voo. Da mesma forma, se um voo para a Austrália tem escala em Dubai, apenas o visto australiano não é suficiente, sendo necessário também o visto para os Emirados Árabes.

É importantíssimo que os noivos se informem sobre essas situações com a companhia aérea ou a agência de viagem, se for o caso. Nem todas as escalas exigem visto, e as situações podem variar, o que não pode é o casal perder a viagem, certo?

Dessa forma, o procedimento do visto não deve ser deixado de lado, mas pelo contrário, deve ser dado a ele extrema importância, lembrando que ele demanda um longo tempo e às vezes os custos podem ser altos.

Comente ♥