Dicas e cuidados para economizar no casamento

A parte mais difícil da organização do casamento é, sem dúvida, definir o orçamento. É a partir dele que será possível determinar o número de convidados, o perfil do evento, se vai ter festa ou só cerimônia, onde vai ser, o que vai servir e tudo mais que essa celebração envolve.

Eu sei que, muitas vezes, para o sonho caber no bolso, é preciso abrir mão de algumas coisas e cortar gastos em alguns itens, mas até para isso é preciso pesquisar e prestar atenção. Todo mundo já ouviu falar que “às vezes o barato sai caro”, e é verdade. Para tentar ajudar um pouquinho e tirar algumas dúvidas, separei aqui algumas dicas e cuidados para economizar no casamento sem passar aperto.

É claro que isso é muito pessoal e varia de acordo com o gosto e a personalidade dos noivos, mas prestar atenção em alguns pontos é crucial para evitar transtornos.

♥ Defina quais são as prioridades: é claro que todos os detalhes do casamento são importantes e que ninguém deve contratar fornecedores mais ou menos para nada. Definir as prioridades é um dos princípios da “regra dos três”, que li no The Knot e achei uma boa estratégia. Segundo ela, os noivos devem definir quais são as três coisas que acham mais e menos importantes e começar por aí a definir em que investir mais ou menos. Por exemplo, se definirem que as 3 coisas mais importantes da festa para vocês são o vestido, o buffet e a fotografia, vocês vão querer (e até se sentirem mais confortáveis) investir um valor maior nisso. Por outro lado, se não se importam muito com, por exemplo, papelaria, bebidas e a música, o valor destinado a esses fornecedores pode ser menor. Deu pra entender? Isso não quer dizer que um fornecedor seja mais importante que o outro e essa escolha vai variar bastante de casal para casal, de acordo com o que gostam de fazer e o que querem que seja mais marcante no casamento.

♥ Pesquise muito os preços: Em primeiro lugar, é bom saber qual é a faixa de preço do mercado para analisar se aquele profissional está cobrando um valor razoável para o que está propondo e saber os valores dos profissionais que tem em mente é o primeiro passo para começar a negociar com aquele que você quer. Além disso, ter uma ideia dos valores praticados, evita cair em alguma “promoção-pegadinha”, já que vocês conseguirão saber o que realmente está abaixo da tabela e o que é só para chamar atenção.

Desconfie de propostas absurdas: descontos surreais para pagamento à vista, milhões de benefícios à parte do contrato, preço muito abaixo dos outros fornecedores do mesmo segmento… É sério, gente. Por mais tentador que seja fechar um contrato com um fornecedor que cobra 1/3 dos outros, é muito importante tentar entender por que e como ele consegue cobrar aquele valor sem ter prejuízo. Desconfie, pergunte e pesquise antes de assinar qualquer coisa que pareça surreal demais.

♥ Escolha sempre fornecedores profissionais: é muito comum aparecer algumas pessoas oferecendo serviços para o casamento. O vizinho de uma tia que gosta de filmar, a colega de trabalho que faz bolos gostosos ou a prima que descartou a necessidade do cerimonial, porque vai organizar tudo para você no dia. Pense duas (ou três) vezes antes de trocar um profissional por um amador e aceitar qualquer uma dessas ofertas. Lembre-se que existem pessoas que estudaram, treinaram e aprenderam muito para conseguir oferecer esse serviço bem feito e não foi à toa. Na teoria pode parecer simples, mas por trás de um evento desse porte tem coisa demais que a gente não vê. O que parecia um presente, ou uma economia, pode acabar virando uma grande dor de cabeça.

♥ Não abra mão de um contrato: pode parecer formalismo demais, coisa de advogado ou exagero no cuidado, mas é muito importante que tudo que seja combinado com seus fornecedores sejam previstos em um contrato escrito e assinado pelas duas partes. Qualquer benefício que te ofereçam, qualquer desconto ou alteração de prazo deve ser inserido no contrato, assim você terá garantia de que tudo que foi acordado e será cumprido. Além disso, com o contrato em mãos, é possível analisar tudo que está incluído, tudo que precisa ser contratado à parte e, assim, planejar direitinho os gastos.

♥ Cuidado com o excesso de informações: são tantas ideias, tantas dicas, tantas inspirações que a gente acaba querendo ter um pouquinho de tudo. Além de correr o risco do evento ser uma “colcha de retalhos”, acaba deixando o casamento ainda mais caro. É legal ler vários blogs (sério, escolha os seus favoritos e acompanhe sempre), revistas e ter mil pastinhas de inspiração no Pinterest, mas é muito importante saber filtrar o que você achou legal e o que você quer que tenha no seu casamento.

♥ Cuidado com projetos do it yourself: sou suspeita para falar, porque adoro um “faça você mesmo”. Acho gostoso de fazer, quase terapêutico, ainda mais se for juntar a família ou as amigas para ajudar. A questão aqui não é opinar se você deve fazer ou não e sim lembrar que é importante colocar todos os gastos na ponta do lápis e ver se o DIY vai gerar alguma economia, se essa for a intenção. Muitas vezes o material, o tempo e o desperdício (com erros, ou materiais que só vendem uma quantidade maior) acabam saindo praticamente o mesmo preço que contratar um profissional.

♥ Converse abertamente com os fornecedores: se quiser economizar um pouco naquele item, converse com o fornecedor para saber se existem alternativas mais baratas para aquela determinada coisa. As flores da estação, por exemplo, podem reduzir o valor da decoração. Na papelaria e impressão do álbum, pode ser uma boa trocar o papel por uma marca nacional. O primeiro aluguel do vestido de noiva pode sair mais em conta que a compra e você ainda vai usar um vestido que foi feito para você. Já falei da importância de contratar um fornecedor que você se identifique e esse é um dos motivos. Com uma boa conversa, é possível achar  ótimas alternativas pra adequar tudo no orçamento.

Comente ♥