Casamento ao ar livre da Luiza e do Marcelo

Eu amo postar amores de verdade por aqui. Acho que nada é mais inspirador do que ver casais felizes e apaixonados dando um passo tão importante e vivendo a realização desse sonho juntos. Bato sempre na tecla de que os casamentos mais bonitos são aqueles que combinam com os noivos, mostram um pouquinho da personalidade, do jeito deles  e do que acreditam para as pessoas.

Preciso confessar, entretanto, que eu tenho uma quedinha fora do normal pelos casamentos durante o dia, tanto que escolhi essa ideia para o meu. Sabendo disso, não preciso nem contar que fiquei apaixonada quando vi o casamento ao ar livre da Luiza e do Marcelo, que uniu de uma forma linda e leve essas duas coisas que eu amo nos casamentos. As fotos do Lutterbach Fotografia Autoral são tão lindas que chegam a ser realmente poéticas (tá aí a importância de escolher um fotógrafo que você ame) e eu não podia deixar de mostrar pra vocês. Pelo tanto que o trabalho dele aparece ilustrando os posts aqui do blog e do Instagram, vocês já devem ser percebido que eu sou fã, né? Tenho certeza que esse casamento vai ser uma inspiração e tanto!

Eu e o Marcelo já temos quase 6 anos de relacionamento e nos conhecemos na estrada, já que eu trabalho em Divinópolis e ele também. Eu havia conseguido um emprego lá e queria fazer o trajeto toda semana de carro, mas minha mãe ficou um pouco preocupada e minha chefe me indicou uma van. Ela só tinha uma indicação para me passar e, para a minha sorte, quem estava nessa van indo e voltando no mesmo horário que eu era o Marcelo. 

É engraçado, porque as histórias são um pouco familiares. A mãe dele é de Itaúna e conheceu o pai dele vindo para BH. Meus pais são de Valadares, mas também precisaram viajar para se conhecer. Meu irmão também é casado e os dois ficaram um tempo na estrada, então isso tem tudo a ver com a gente. Ficamos noivos em 2015 e moramos juntos desde então, mas a festa foi acontecer só em 2017. Inicialmente, minha ideia era casar em 2015 mesmo, e até cheguei até a ir visitar o Espaço Garças em 2014, mas com a crise precisamos adiar. Quisemos uma festa mais intimista, com um ar bem descontraído, para apenas 100 convidados. Não estabelecemos nenhum código de vestimenta para padrinhos, nem convidados e quisemos uma decoração que deixasse todo mundo bem à vontade, como se estivéssemos preparado tudo no quintal de casa. Privilegiamos muito um buffet que tivesse uma pegada mais intimista e o Chá com Nozes foi excelente nisso. Toda a proposta da festa foi pensando nessa circunstância, de ser um casamento leve, descontraído, informal e sem os protocolos que normalmente se espera de uma celebração mais tradicional. 

Algumas coisas até pareciam fazer parte do protocolo, mas não eram. O cortejo, por exemplo, foi como de uma celebração tradicional, mas a celebração em si foi bem personalizada. Eu e o Marcelo, que somos professores, escrevemos todo o texto da celebração, que não foi religiosa e sim filosófica e poética, devido à nossa formação. Foi tudo bem personalizado: o Claudio utilizou um texto de um filósofo, chamado Elogio ao Amor, para trabalhar na cerimônia, fizemos votos personalizados e recitamos cada um uma poesia sobre o amor ao final da celebração. Na festa, optamos por não fazer a primeira dança, então soltamos uma música que a gente gostava, dançamos, agradecemos e não passamos formalmente de mesa em mesa. Na hora de jogar o buquê, ofereci para todos os convidados, não só as mulheres solteiras de sempre, mas também para homens, mulheres solteiras que não pretendiam se casar, mulheres que pretendiam se casar com outras mulheres e escolhi a música “Girls who run the world” da Beyoncé. Também não coloquei o nome das amigas solteiras na barra do vestido, porque acredito que existem N maneiras de se funcionar no amor e de estabelecer as relações amorosas além da heteronormativa. 

O dia foi super gostoso e ficamos bastante a vontade com o clima da festa. Os fornecedores todos foram muito maravilhosos. Não quisemos ter a preocupação de muita formalidade e muitos protocolos e isso funcionou muito bem nesse ponto também, já que todos ficaram bem à vontade para trabalhar. Foi uma proposta leve, até no vestido que não tinha nenhum bordado e o cabelo sem coroa. Foi uma coisa intimista e tranquila e não foi a toa que escolhemos o Lutterbach, que tem essa proposta mais poética da fotografia para registrar o nosso dia. 

Cerimonial: Floratta | Locação, decoração, buquê, lapelas e sonorização da boate: Espaço Garças | Fotografia: Lutterbach | Filmagem: Olga Filmes | Celebrante: Claudio Toledo | Banda da Cerimônia: Off White Band | Buffet: Chá com Nozes | Bolo: Elisa Castro | DJ: Pedrão Meirelles | Vestido e Véu: Hingrid Sathler | Beauty da noiva: Claudinha Goulart | Acessórios da Noiva: Bali Brasil | Terno do Noivo: Brooksfield | Beauty do Noivo: CG Barber | Roupas do pajem e das damas: criação da noiva, corte e costura Erlaine Louzada | Identidade Visual do Casamento: Boda Design | Lembrancinha dos pais e padrinhos: Arte Lilás | Chinelos e roupões do making of: Wedding Shoes | Alianças: Richter

 

Comente ♥